Capítulo 01 – O ambicioso pirralho do gueto

  • by

Se para muitos entrar em uma faculdade pública tendo estudado toda a vida em escola pública era algo surpreendente, para Alex era apenas o primeiro passo para alcançar seu sonho de se juiz. A sorte parecia realmente estar ao seu lado no começo daquele ano, quando também foi chamado para trabalhar como auxiliar administrativo numa delegacia de polícia. Um garoto inteligente de fato, porém, mais do que inteligência, o que realmente cativava as pessoas que o rodeavam era sua lábia.

Com seu jeito malandro conversava com um aqui e com outro ali e sempre estava por dentro de todos os assuntos. Quais casos estavam sendo investigados, quais crimes foram cometidos, quem era suspeito, onde haveria uma investigação. As ruas o ensinaram a ser assim, ser ativo e não perder nenhum detalhe.

Todos correspondiam ao seu falso sorriso, exceto um certo investigador que ele sempre, porém nunca olhava para sua cara. Getúlio Silva era um homem carrancudo, arrogante e que sempre falava com os outros de forma irônica. No entanto nenhum de seus colegas reclamava, se por um lado ele era mandão e exigente, por outro ele sempre resolvia todos os casos que pegava.

— Ei, Roberto, como vocês suportam esse cara! Eu odeio jeito como ele é mal-educado!

 — Fica tranquilo garoto, ele pode parecer ser chato, mas no fundo ele é gente boa. Dizem que ele só é assim porque teve muitas angústias na vida e por isso tornou amargo.

—  Que tipo de angústias?

— Outras caras que levaram o mérito por casos que ele resolveu, amores não correspondidos e recentemente a morte dos pais. Por conta disso a vida desse cara virou apenas dedicar-se ao trabalho.

— Cara que tenso. E por que ninguém chama ele para curtir?

— Bem, garoto, já chamamos ele se tornou um excluso da sociedade: não sai para se divertir, não importa quantas vezes a gente chame. Não tem redes sociais, não assiste TV, não ouve rádio.

— Ah, isso eu já não acredito, eu sempre o vejo ter opinião sobre todos os assuntos que falam com ele na hora do almoço. Quando vocês falam sobre filmes, músicas e dos assuntos mais atuais ele parece saber do assunto melhor que todos!

— Aí é que está. Ele lê. O tempo todo! Jornais, revistas, livros, capas de filmes e livros, muitos livros. Se quer vê-lo de mal humor, a oportunidade é quando ele perde a carteirinha que tem da biblioteca municipal.

— Ainda tem gente que vai a esses lugares com os ebooks?

— Sim. Ele.

Roberto era o cabo responsável pelo estágio de Alex, além de ensinar o serviço, tornou-se rapidamente um amigo.

Quando as coisas pareciam divertidas, Getúlio botava uma pilha de papéis em cima da mesa deles .

— Preciso destes documentos prontos em dois dias.

 — Não dá, tem muita coisa aqui.

— Façam hora extra!

— O problema é que precisam de muitas assinaturas.

— Puxa vida, vocês não conseguem nem fazer isso?

— O delegado sempre está ocupado só assina dois ou três papéis de cada vez.

— Você aí novato, deixa um desses relatórios prontos e eu te ensino como se faz.

Alex, atendeu a contragosto a ordem, mas como vinha de um superior não podia negá-la. Assim que ele terminou, Getúlio pego o papel e disse para eles que observassem. Esperou o delegado ir até outra mesa onde havia uma divisória e colocou o documento por último em uma caixa de correspondência de acrílico e voltou até Roberto e Alex.

— Esse documento nunca vai sair daí! — zombou Alex.

Dois minutos depois, o delegado pega justamente o relatório que Getúlio deixou em sua mesa, carimba e assina.

— Certo, garotos, vou ensinar um segredinho: “Ele sempre pega os papéis que estão embaixo primeiro”.

— Ora, ora, temos um Sherlock Holmes, hein? Será que não é porque são os documentos que estão a mais tempo?

— Bobagem. Vocês que pensam pequeno. Os documentos embaixo são os que precisam ser assinado primeiro e, portanto, os mais importantes. Agora já sabem como resolver o problema das assinaturas, parem de enrolar. E se ele tiver assinado e esquecer o carimbo é só pegá-lo na segunda gaveta que sempre fica destrancada.

— Roberto, melhor a gente tomar cuidado, esse cara ainda vai nos colocar numa fria.

— Não se preocupe, deixa que eu resolvo isso, apenas me ajude na parte da digitação e eu me viro. Você não pode se atrasar para a aula, já que é bolsista. Vê se não perde ônibus!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *